WEB RÁDIO

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Com direito a sangria: pequenos reservatórios do RN recebem águas das últimas chuvas

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora 47 reservatórios com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos responsáveis pela segurança hídrica potiguar.

O relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado nesta segunda-feira (3), aponta que os grandes reservatórios não receberam recargas substanciais, porém os pequenos já começam a receber recarga.

A Barragem Dinamarca, com capacidade para 2.724.425 m³, responsável pelo abastecimento da cidade de Serra Negra do Norte foi o primeiro manancial acompanhado pelo Igarn a verter, popularmente, sangrar. Em 2019 o reservatório sangrou no dia 21 de fevereiro.

Outros reservatórios receberam boas recargas, com relação à última semana. Casos de Tourão, localizado em Patu, com capacidade para 7.985.249 m³, que teve um acréscimo de cerca de 4% no seu volume acumulado e Santo Antônio de Caraúbas, com capacidade para 8.538.109 m³, que também deve um aumento de volume na média dos 4%. Outros mananciais receberam recargas inferiores a 1% nos seus volumes.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do Estado, com capacidade para 2,37 milhões de metros cúbicos, atualmente está com 531.601.489 m³, 22,4% do seu volume total. No mesmo período de fevereiro de 2019 o reservatório estava com 483.348.133 m³, correspondentes a 20,14% da sua capacidade total.

Já a barragem Santa Cruz do Apodi, com capacidade para 599.712.000 m³, atualmente acumula 110.937.375 m³, o que corresponde a 18,5%, da sua capacidade total. No mesmo período do ano passado o reservatório estava com 131.249.339 m³, percentualmente, 21,89% do seu volume máximo.
O açude Umari, com capacidade para 292.813.650 m³, atualmente acumula 83.300.650 m³, correspondentes a 28,45% do seu volume total. No início de fevereiro do ano passado o reservatório estava com 99.093.704 m³, percentualmente, 33,84% da sua capacidade total.

As reservas hídricas superficiais totais do Estado atualmente são 959.315.595 m³, percentualmente, 21,91% da capacidade total de acumulo das bacias potiguares, que é de 4.376.444.842 m³. No mesmo período do ano passado o volume total das reservas hídricas monitoradas era de 938.433.105 m³, percentualmente, 21,44% da capacidade total.

Dos 47 reservatórios monitorados pelo Igarn, 12  permanecem com menos de 10% das suas capacidades, considerados em nível de alerta, percentualmente, 25% dos mananciais monitorados. Já os secos são 6, o correspondente a 12% dos reservatórios. No mesmo período do ano passado os mananciais em nível de alerta eram 8, percentualmente, 17% dos açudes monitorados. Os secos também eram 8, outros 17%.

Os reservatórios com níveis inferiores a 10% são: Bonito II, localizado em São Miguel; Jesus, Maria, José, em Tenente Ananias; Lucrécia, localizado no município de Lucrécia; Malhada Vermelha, em Severiano Melo; Zangalheiras, em Jardim do Seridó; Marechal Dutra (Gargalheiras), em Acari; Passagem das Traíras, em São José do Seridó; Itans, em Caicó; Esguicho, em Ouro Branco; Cruzeta, localizado na cidade de Cruzeta; Dourado, em Currais Novos; e Santa Cruz do Trairi, em Santa Cruz.

Já os secos são: Santana, localizado em Rafael Fernandes; Pau dos Ferros, localizado em Pau dos Ferros; Pilões, localizado no município de Pilões; Inharé, em Santa Cruz; Trairi, em Tangará e Japi II, em São José do Campestre.


Nenhum comentário:

Postar um comentário