WEB RÁDIO

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Abastecimento de Macau com águas do oceano pode acontecer a partir de fevereiro

Técnicos da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) trabalham no desenvolvimento de um projeto para implementar em cidades do interior do estado usinas de dessalinização de águas para auxiliar no abastecimento urbano.

Segundo o engenheiro mecânico e coordenador do projeto na Semarh, Franklin de Azevedo, na fase inicial que está sendo estudada atualmente, as águas resultantes do processo de dessalinização devem abastecer até 30% de Macau, município do Polo Costa Branca escolhido para abrigar o projeto piloto.

Franklin explica que a grande vantagem da dessalinização é que a porção da cidade abastecida com essas águas terá, a partir do início das atividades, segurança hídrica por tempo indeterminado. “São águas provenientes do mar, que é uma fonte inesgotável.

Atualmente, o município de Macau é abastecido com águas do rio Piranhas-Açu, do qual a captação acontece em Pendências. Com a seca que já dura cinco anos, entretanto, a retirada de água tem sido cada vez mais difícil, o que motivou os técnicos a estudarem alternativas.

O coordenador do projeto, Franklin de Azevedo, pontua que o preço do abastecimento com águas dessalinizadas é superior ao do abastecimento por métodos tradicionais.

Enquanto o procedimento comum acarreta em custos de, aproximadamente, R$ 3 por metro cúbico de água; na dessalinização, o preço pode chegar a R$ 5 pela mesma quantidade do produto.

Tiago Rebolo

Nenhum comentário:

Postar um comentário